Sobe e desce do preço do diesel preocupa setor de transporte

A política da Petrobras de revisar os preços dos combustíveis de acordo com o mercado internacional mensalmente preocupa o setor de transportes do Paraná. As empresas, que antes negociavam contratos levando em consideração um reajuste do diesel a mais longo prazo, agora terão que buscar novas alternativas de negociação com o valor do insumo flutuando mês a mês.

De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná (Setcepar), Marcos Egídio Battistella, a preocupação do setor é grande. “Não estávamos acostumado com esse formato da Petrobras de sobe e desce de preços. Trabalhávamos com seis ou dez meses sem reajustes e conseguíamos negociar com os clientes os aumentos quando eles ocorriam. Agora, teremos que rever a mecânica de negociação com os clientes”, comentou Battistella.

Para ele, será preciso estudar uma fórmula de repasse automático desses reajustes. As negociações serão de cada empresa com seus clientes. “É mais um complicador na nossa vida. O setor já está sufocado”, afirmou.

Segundo ele, está difícil negociar o repasse dos reajustes para o preço do frete. “O jeito é absorver uma parte e tentar negociar com os postos e fornecedores”, afirmou o presidente. Ele disse que na sua empresa, o aumento da semana passada, já representa um impacto de 3% a 4% no seu custo.
Noticia publicada no portal Bonde. Clique aqui para ver a matéria completa

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *